Arquivo da categoria: 4. POESIAS Publicadas

POESIA 06/SET: Meio da Sala !

        Carolina, tu és meu verde, o sertão chuvoso…Todo o Céu Acima !!! https://amauroboliveira.files.wordpress.com/2011/05/meio-da-sala-oct09.pdf

Publicado em 4. POESIAS Publicadas | Deixe um comentário

POESIA 31/AGO: Agora eu era Herói

AGORA EU ERA HEROI Tenho uma saudade danada … Do tempo de te levar no colo Rodopiar feito um carrossel Escutar você tossir baixinho Te ver me acordar de novo Cantarolar “Joao & Maria https://amauroboliveira.files.wordpress.com/2011/05/2009-agora-eu-era-heroi.pdf

Publicado em 4. POESIAS Publicadas | Deixe um comentário

POESIA 30/ago: MANHÃ DE DOMINGO

MANHÃ de DOMINGO Hoje, nessa manhã, uma alegria diferente me invadiu aproveitando o desleixo de um acordar desprevenido… https://amauroboliveira.files.wordpress.com/2011/05/2010-manha-de-domingo.pdf

Publicado em 4. POESIAS Publicadas | Deixe um comentário

POESIA: Uma luzinha entre coqueiros !!!

  Esta conversa tem pra lá de 40 anos.  Passávamos nossas férias na fazenda do tio Manezin uma casa de alpendre típica do sertão cearense, lá pras bandas da Lagoa dos Porcos, Jaguaruana, arredores de Aracati. https://amauroboliveira.files.wordpress.com/2011/05/2005-006-ma_uma-luzinha-entre-coqueiros.pdf

Publicado em 4. POESIAS Publicadas | Deixe um comentário

“A COR é uma ilusão de ótica…”

“A COR é uma ilusão de ótica. É só perguntar um pingo d´água numa manhã de sol” (R.Mauro in TERRA do NUNCA) https://amauroboliveira.wordpress.com/extensao/poesias/terra-do-nunca/

Publicado em 4. POESIAS Publicadas | Deixe um comentário

Poesias não são palavras que rimam…

Poesias não são palavras que rimam.Poesia é o sentido que cada um dá a sua existência (Karol Oliveira). https://amauroboliveira.wordpress.com/extensao/poesias/ceu-acima/

Publicado em 4. POESIAS Publicadas | Deixe um comentário

O SAL de PORTUGUAL

Ao caminhar em tuas calçadas, do Tejo à Torre de Belém, senti acelerar cada vez mais  forte meu peito esquerdo, o pulsar sem me fazer prevenir, de um marujo ao partir na  caravela a desbravar, tal um amor inesperado. Senti … Continuar lendo

Publicado em 4. POESIAS Publicadas | Deixe um comentário

O REI DA MINHA RAINHA

Vai vai meu Rei, invada mares adentro lado a lado minha Rainha! Cruza mares que vierem deixa o vento embolar teus caros cabelos desdenha o chuvisco fresco das ondas malucas sorria pras gaivotas em bando sem rumo incerto olha bem … Continuar lendo

Publicado em 4. POESIAS Publicadas | 1 Comentário