Algo Melhor que a Refinaria!

(Artigo Publicado no jornal O POVO em 24 de abril de 2022)

Demitri Túlio, jornalista “Das Antigas”, e Cláudio Ribeiro me pregaram um susto em 07/julho/2008. Ao ser entrevistado por essa dupla dinâmica d´O POVO, bradei na saída: Demi, esse negócio é “Algo melhor que a refinaria”! Este brado, título da entrevista, retumbou como um delírio a olhos conservadores!

Mas não era! Eu me referia ao Dragão Digital, um projeto em que o Cinturão Digital de Cid Gomes, em construção pelo engenhoso Fernando Carvalho, seria a estrada para uma ruma de softwares produzidos pelo projeto e-JOVEM sendo implementado por Maurício Maia.

O Dragão Digital via uma central de inteligência no prédio do Cine São Luiz (ameaçado de compra por uma igreja de duvidosa reputação) onde empresas e “startups” (neologismo trazido pelo “Carioca da Peste” Análio Rodrigues, da Finep) se articulariam com milhares de jovens produzindo software em todas as brenhas do Ceará, com apoio do IFCE e universidades.

Não era pra menos! Havia em 2008, segundo o Gartner Group, um mercado offshore de software de US$ 35 bilhões crescendo a 20% ao ano, dominado pela Índia (48%). O Brasil figurava em 15º lugar.

Algo melhor que a refinaria, argumentava aos infiéis, seria a formação massiva de programadores para um futuro onde “dados seriam mais caros do que petróleo”. Perdemos esse primeiro bonde selado, mas não perdemos a guerra… nem a garra!

“2022, o ano que aconteceu” tem sido o mantra do IRACEMA Digital e nos impulsa a reavaliar o que realmente é POP e TECH. Geração de renda com software pelo jovem é uma arma poderosa na guerra que estamos silenciosamente perdendo: as drogas estão “perscrutando e convocando” nossos jovens de fora da Aldeia Aldeota.

Mas eis que repente, a formação profissional e cidadã de 100 mil jovens, Projeto C-JOVEM, uma repaginação moderna do e-JOVEM, entra no ideário, na alma e na caneta de quem tem o destino social, cultural e econômico de nosso Estado. O C-JOVEM foi lançado no dia 18 de abril de 2022, uma segunda qualquer no calendário gregoriano que poderá ser citado no futuro por esses 100 mil jovens, já com o manche do seu Estado.

Eles dirão neste futuro, aos novos jovens, que a Professora Governadora percebeu “2022, como o ano para acontecer”. Dirão que a Professora compreendeu fácil que havia “Algo maior que a refinaria” e que a Governadora, para tanto, “deu o máximo de si… é o melhor que o homem pode fazer na vida” (Cervantes in Dom Quixote).

Mauro Oliveira, Professor IFCE

Esse post foi publicado em Notícias e Eventos. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s